Após sete horas, estudantes deixam prédio da Presidência e prometem mais resistência

Fonte: Rede Brasil Atual

São Paulo – Após sete horas de ocupação do gabinete da Presidência da República em São Paulo, na Avenida Paulista, jovens liderados pela União Nacional dos Estudantes, saíram na noite de hoje (10) do prédio entoando palavras de ordem e prometeram mais ocupações e resistência ao avanço do governo Michel Temer aos direitos da população.

O objetivo dos estudantes era permanecer dentro do prédio durante a votação da PEC 241. A proposta foi aprovada na noite desta segunda-feira por 366 votos a favor, 111 contra e duas abstenções na Câmara dos Deputados. Os alunos também protestaram contra o projeto “Escola sem Partido” e a medida provisória da reforma do ensino médio.

A desocupação ocorreu após intervenção do presidente da OAB-SP, Marcos da Costa, juntamente com deputados estaduais, para evitar violência. À tarde, eles denunciaram que estavam sendo isolados e que não tinham acesso a água, alimentos e ajuda jurídica.

“Não deixaremos que acabem com nosso futuro. Hoje foi um ato importante. Espero que toda a população tenham recebido o recado: vamos resistir!”, disse Peter Lucas, diretor de universidades privadas da União Estadual dos Estudantes de São Paulo (UEE-SP).

Além de UNE e UEE-SP, participaram da ocupação a União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes), a União Paulista dos Estudantes Secundaristas (Upes) e outros movimentos.

Na saída, ao descerem três lances de escadas, os estudantes falaram várias palavras de ordem: “Temer, golpista, Temer, ladrão, engana o povo e rasga a Constituição” e “Não tem arrego, vocês tiram meus direitos e eu tiro o seu sossego”.

Já na rua fizeram um jogral: “Nós, estudantes, ocupamos o gabinete da Presidência da República, em defesa do povo e de uma vida digna, dos serviços públicos, para todos e para todas. A votação do Congresso Nacional, que aprovou a PEC 241, não reflete os anseios da população, que cada vez mais quer, demanda com qualidade. Resistiremos contra as privatizações, contra o desmonte do Estado. Não destruirão nossos sonhos, não destruirão nosso futuro. A nossa luta, apenas começou. A quem possa interessar, sigamos em frente: ocupar e resistir”.

No perfil do Facebook, o coletivo Mídia Ninja informou que, “após ameaças da PM, os estudantes decidiram sair pacificamente da sede da presidência em SP”. “O movimento, formado pelas entidades estudantis, vai seguir em luta contra os retrocessos na educação”, acrescentou.

“A proposta da PM era levar todos nós para a delegacia. A PM não nos conhece: não somos ladrões, estamos lutando pelos nossos direitos aqui. Amanhã é mais um dia de luta”, avisou Lucas.

O estudante Ergon Cugler, da UEE-SP, afirmou que os jovens encontram “muita resistência nos últimos tempos em ocupações de escolas”. “É justamente por isso que a gente decidiu ocupar, nessa data simbólica, o gabinete da Presidência da República, que é uma forma de a gente dar visibilidade sobre esse tema, tema que é muito perigoso para a sociedade se for aprovado”, disse, sobre a PEC 241, segundo a Agência Brasil.

A imprensa divulgou que o presidente Michel Temer considerou a ocupação em São Paulo como um assunto “de polícia”. O Gabinete de Segurança Institucional (GSI) monitorou o movimento.

Deixe um Comentário

comentários

Deixe uma resposta