Cartunista ironiza clichês do empresariado e corte de direitos

Fonte: Rede Brasil Atual

O cartunista Ricardo Coimbra divulgou hoje (12), em seu site Vida e Obra de Mim Mesmo, uma tira em que ironiza as relações entre o empresariado e a classe trabalhadora. A narrativa tem início com uma apresentação de balanço de um representante patronal. Nos primeiros dizeres, ataques a leis trabalhistas que tornam “praticamente impossível empreender neste país”. Então, clichês e chavões que são frequentemente utilizados pelo patronato na charge são utilizados pelos empregados contra o patrão. Alguns internautas utilizaram uma inversão na frase proferida por Michel Temer, “não pense em crise, trabalhe”. Desta vez, direcionando o discurso de exploração ao empresariado: “Não pense em crise, empreenda”.

Coimbra utiliza frequentemente uma mistura de humor ácido com crítica política, evidenciando pontos de incongruência em discursos de ódio, por exemplo. “Até a direita, que gosta de pagar de elitista e sofisticada, no fim é o mesmo jeca emocionado com corrupto que fala bem: ‘Ai, ele usa mesóclise’”, diz em outra obra.

Alvo de críticas do humorista, o presidente Michel Temer (PMDB) vem anunciando um plano de governo que foge ao que foi escolhido pelos eleitores, em 2014. Entre os pontos mais polêmicos estão reformas trabalhistas, onde o acordado prevalecer sobre o legislado e, na prática, imprimir arrochos em direitos, já que, em razão de necessidade, o trabalhador dificilmente nega propostas do patronato. Outro ponto está na Proposta de Emenda Constitucional (PEC 241), enviada pelo Executivo, que prevê o congelamento dos gastos em despesas primárias como saúde e educação ao limite da inflação do ano anterior.

Deixe um Comentário

comentários

Deixe uma resposta