Festival Sêla: lugar de mulher é no palco. E onde mais ela quiser

Evento promove a valorização das mulheres no mercado da música e propõe aliança entre cantoras e e profissionais da área. Tiê, Tássia Reis e As Bahias e a Cozinha Mineira fazem parte da programação

Fonte: Rede Brasil Atual

“Ser ela”. Sê-la. Colocar-se no lugar da outra e seguir juntas rumo ao empoderamento. Este é o objetivo do Sêla, projeto que promove um festival homônimo que reúne cantoras e profissionais da música de quarta-feira a domingo (1º a 5 de fevereiro) na cidade de São Paulo. A programação privilegia a diversidade no feminino: mulheres negras, brancas e trans. Entre os destaques, estão a cantora Tiê, a rapper Tássia Reis e a dupla As Bahias e a Cozinha Mineira.

Mesmo com um número crescente de mulheres no mercado da música, os festivais ainda têm a presença dominante dos homens. Para promover a equidade, o Sêla pretende ser um espaço de protagonismo de mulheres e de incentivo a um novo modelo de parceria.

Os shows de cantoras, compositoras, rappers e DJs serão realizados em três palcos da capital paulista: na sala Adoniran Barbosa do Centro Cultural São Paulo (CCSP), no espaço Breve e n’O Lourdes, com bilhetes cujos preços vão de R$ 7,50 a R$ 20.

Além das apresentações musicais, o festival idealizado pela cantora paulista Camila Garófalo também contará com a roda de conversa “Paradigmas da mulher na música”, mediada por Cris Rangel, do selo Lôca do Play, e com a participação das artistas Drika Oliveira, Manallu, Silvia Sant’Anna, Nina Oliveira e Amanda Mussi. Este é o evento que abre a programação do festival nesta quarta-feira (1º), às 19h, no Breve, na Pompeia, zona oeste de São Paulo.

Na quinta-feira (2), a Festa Baphyphyna reúne n’O Lourdes, na Rua da Consolação, a discotecagem de Luana Hansen, Érica, Sanni e a convidada especial Amanda Mussi. No dia 3, a partir das 19h, o palco do CCSP recebe os shows das cantoras Labaq, Marina Melo e da poeta, slammer e produtora cultural Mel Duarte, que abrem a apresentação da rapper Tássia Reis.

No sábado (4), no mesmo horário no CCBB, é a vez da dupla As Bahias e a Cozinha Mineira composta pelas cantoras trans Assucena Assucena e Raquel Virgínia. A abertura fica por conta da banda de rock Sara Não Tem Nome e da cantora Camila Garófalo. A cantora Tiê fecha o Festival Sêla no domingo, às 18h, na Sala Adoniran Barbosa do CCSP, com abertura da paraense Natália Matos e da sergipana Sadyalê.

Festival Sêla
– Quarta-feira, 1° de fevereiro, às 21h
Festa e bate-papo Demandas Lôca do Play
Onde: Breve, na Rua Clélia, 470, Pompeia
Quanto: R$ 15 (antecipado) e R$ 20

– Quinta-feira, 2 de fevereiro, às 20h
Baphyphyna & Festival Sêla
Onde: O Lourdes, Rua da Consolação, 247, Lj. 8
Quanto: R$ 15

– Sexta-feira, 3 de fevereiro, às 19h
Festival Sêla no CCBB, com Tássia Reis
Onde: CCSP, Rua Vergueiro, 1.000
Quanto: R$ 7,50 (meia-entrada) e R$ 15

– Sábado, 4 de fevereiro, às 19h
Festival Sêla no CCBB, com As Bahias e a Cozinha Mineira
Onde: CCSP, Rua Vergueiro, 1.000
Quanto: R$ 7,50 (meia-entrada) e R$ 15

– Domingo, 5 de fevereiro, às 18h
Festival Sêla no CCBB, com Tiê
Onde: CCSP, Rua Vergueiro, 1.000
Quanto: R$ 7,50 (meia-entrada) e R$ 15

Mais informações: www.facebook.com/selamusical

Deixe um Comentário

comentários

Deixe uma resposta

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.