Gestão Haddad planeja integrar modalidades de transporte com recompensa para ciclistas

Fonte: Rede Brasil Atual

A gestão Fernando Haddad pretende integrar os diversos modais de transporte, na cidade de São Paulo, com a criação do bilhete mobilidade, que deve substituir o atual bilhete único. Além da integração, a ideia é estimular o uso da bicicleta pelos usuários, que serão recompensados com créditos que poderão ser utilizados nos ônibus, metrô, táxis e veículos compartilhados, como o Uber.

“Já era um projeto da prefeitura estabelecer a integração entre os modais e ter um único meio de pagamento, onde se pudesse racionalizar o uso desses modais de forma a integrar melhor todo o sistema”, detalha Rodrigo Pirajá, diretor-presidente da São Paulo Negócios (empresa municipal responsável pela implementação do novo modelo), em entrevista à repórter Anelize Moreira, da Rádio Brasil Atual.

O ciclista poderá participar por meio de um aplicativo. O valor dos créditos pode variar de acordo com o horário, o local e a distância da viagem. Pirajá afirma que, além dos modais de transporte, os créditos também poderão ser utilizados em estabelecimentos credenciados, como estacionamentos para bicicletas e lojas de equipamento e manutenção, estimulando o setor.

O projeto do Executivo será realizado em parceria com proposta do vereador Police Neto (PSD), que, em sua versão inicial, abrangia apenas a recompensa pelo uso da bicicleta. O substitutivo já foi encaminhado à Câmara Municipal e aprovado em primeira votação, e deve passar, mais uma vez, pelo plenário da Casa até o final do ano. A previsão é que a prefeitura passe a adotar o bilhete mobilidade no próximo ano.

“Para cada viagem que o trabalhador usuário do transporte coletivo fizer de bicicleta, substituindo o transporte público coletivo, economizará para o município R$ 3,80 e terá um crédito, no Bilhete Mobilidade, de R$ 1,81, referente ao recurso que seria pago para as empresas”, explica o vereador, que ressaltou o diálogo com o Executivo. “Na minha opinião, é o bilhete definitivo da cidade de São Paulo.”

O vereador afirma que a cidade só tem a ganhar com a implementação do modelo integrado de transporte e, com isso, prevê a redução de congestionamentos e dos gastos públicos, com ganhos na qualidade de vida.

“A cidade deve ser multimodal. Deve ter o carro, com a sua importância, o ônibus e o metrô, com as suas importâncias, mas o transporte ativo – aqueles deslocamentos a pé, de até três quilômetros, e de bicicleta, de até dez quilômetros – deve fazer parte da rotina da cidade. A partir daí, teremos uma cidade equilibrada nos seus modelos de deslocamento, sem novo investimento de recursos”, diz Police Neto.

Ouça:

 

Deixe um Comentário

comentários

Deixe uma resposta