Melhor e Mais Justo: Mulheres Metalúrgicas

Elas representam cerca de 40% da força de trabalho global, 43% da força de trabalho agrícola mundial e mais da metade dos estudantes universitários em todo o planeta.

No Brasil, são mais da metade da população.

Historicamente, se organizaram para lutar contra o preconceito e a violência. Se uniram para reivindicar igualdade de gênero. Atuaram no processo de redemocratização brasileiro.

Nos últimos anos, cada vez com mais força, erguem suas bandeiras e levantam sua voz pra participar ativamente das transformações sociais e políticas do país.

O Melhor e Mais Justo debate o protagonismo feminino.

Convidados:

Ana Nice Carvalho – Coordenadora da Comissão de Metalúrgicas do ABC

Miriam Duailibi – Presidente do Instituto Ecoar

Cícera Michele Marques – Metalúrgica do ABC / Dirigente CNM CUT

Deixe um Comentário

comentários