Metalúrgicos obtêm acordo e Mercedes suspende demissões

Fonte: Rede Brasil Atual

Os trabalhadores da Mercedes-Benz, em São Bernardo, no ABC paulista, aprovaram hoje (24), em assembleia, proposta negociada entre o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC e a empresa. O acordo, fechado ontem (23), suspende a demissão de mais de 2 mil trabalhadores anunciada pela fábrica no início do mês. A empresa abrirá novo Programa de Demissão Voluntária (PDV) com meta de adesão de 1.400 trabalhadores. Atingido esse número, a montadora alemã se compromete a gerenciar o restante do excedente utilizando mecanismos como o layoff e fica garantida a estabilidade até dezembro de 2017.

“Durante todo o processo, a empresa argumentou a necessidade de acabar com o excedente de 2.670 metalúrgicos. A negociação não avançava, pois eles não aceitavam rever as demissões. Depois das mobilizações, conseguimos conversar”, afirmou o vice-presidente do sindicato, Aroaldo Oliveira da Silva. “Insistimos que a proposta só seria viável se a empresa investisse num PDV realista, que levasse em conta o perfil dos companheiros que estão na fábrica. Hoje, na Mercedes, 60% dos metalúrgicos têm até 12 anos de casa e os PDVs anteriores só eram interessantes para quem tinha mais tempo de trabalho.”

O novo programa ficará aberto até o próximo dia 31 para todos os trabalhadores e oferecerá o valor único de R$ 100 mil, independentemente do tempo de casa ou setor de atuação. “Uma vez atingida a meta, o restante do acordo fica garantido. O excedente será administrado, a princípio, por meio de layoff rotativo, com revezamento dos trabalhadores afastados. E a estabilidade vai até dezembro de 2017”, disse Aroaldo. Em relação às cláusulas econômicas, o acordo prevê para a data-base de 2017 (1º de setembro) o pagamento de um abono no valor de R$ 4 mil.

O sindicato destaca ainda que, segundo o acordo, a empresa fará um mutirão com técnicos, engenheiros e representantes do setor de Recursos Humanos para rever e corrigir problemas nos PPPs (Perfil Profissiográfico Previdenciário), documento que traz todo o histórico do trabalhador e que é necessário para que ele dê entrada em seu processo de aposentadoria.

“Havia muita demanda de companheiros em relação a esse documento, especialmente no que se refere ao reconhecimento de agentes de risco, insalubridade. Havendo essa revisão e a correção de eventuais erros, muitos ficarão em condições de aposentar”, explicou Aroaldo.

A fábrica da Mercedes-Benz em São Bernardo tem atualmente cerca de 9 mil trabalhadores. Os metalúrgicos encontram-se em licença remunerada desde o último dia 5.

Deixe um Comentário

comentários

Deixe uma resposta