O maior desafio de Lula: domar a sanha populista de Maduro | Afinando a Notícia

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou, no final da manhã desta quinta (7), que a América do Sul “não precisa de uma guerra e de conflito”, em referência à disputa desencadeada pela Venezuela contra a Guiana para anexar o território da província de Essequibo, e que foi alvo de um referendo unilateral no último final de semana.

A declaração do presidente era esperada e considerada importante pelos chefes de Estado que participam da 63ª Cúpula de Chefes de Estado do Mercosul e Estados Associados, realizada no Rio de Janeiro ao longo desta semana. Lula é visto pelos seus homólogos – e, principalmente, pelo presidente guianense, Irfaan Ali – como um mediador da paz na região.

“Uma coisa que nós não queremos aqui na América do Sul é guerra. Nós não precisamos de guerra e de conflito. O que nós precisamos é construir a paz, porque só com paz a gente pode desenvolver o país e gerar riqueza”, disse Lula logo no começo do encontro desta quinta (7).

Deixe um Comentário

comentários